terça-feira, 30 de junho de 2015

4 Aventuras de Spirou e Fantásio

As Aventuras de Spirou e Fantásio - 4 Aventuras de Spirou e Fantásio
Autor(es): Franquin
Editora: Editora Arcádia
ISBN: n.d.
Data: Dezembro de 1979
Páginas: 68


4 Aventuras de Spirou e Fantásio é o nome do álbum número 1 da série regular de Banda Desenhada das personagens Spirou e Fantásio. Foi escrito e desenhado por Franquin e é uma colectânea de quatro histórias que foram publicadas entre 1948 e 1950 no Jornal Spirou. As histórias são as seguinte: Spirou e os planos do Robot, Spirou no ringue, Spirou cavaleiro e Spirou no país dos Pigmeus)

Monsieur Papillon, director do Hotel Moustic, desenha a silhueta do seu futuro groom e milagrosamente, o esboço ganha vida e nasce o herói Spirou.
Spirou e o seu esquilo Skip, nascem no primeiro número da revista Spirou. Rob-Vel é o seu criador mas fica preso na Alemanha e é Jijé que toma a responsabilidade pela série. Quando regressa, Rob-Vel retoma a série, mas vende os seus direitos às Edições Dupuis em 1943.  Jijé volta à série e cria o amigo Fantásio.
Em 1946 é Franquin que fica encarregue da série e cria o animal mais fantástico da BD -  o  Marsupilami. Aparecem também na série a jornalista Seccotine, o Zantáfio, Zorglub e o feiticeiro de Champignac.
Em 1969, Franquin abandona a série mas mantém os direitos do  Marsupilami. Jean-Claude Fournier torna-se o novo desenhador e constroi um Spirou mais ecologista, fazendo-o viajar bastante. Já nos anos 80, Spirou e Fantasio vivem três aventuras assinadas por Nic Broca e argumento de  Raoul Cauvin.
Em 1981, a dupla Tome & Janry fazem com que a época mítica da série renasça, criando a personagem Vito. Criam também paralelamente a série O Pequeno Spirou.
Em 2004, Jean-David Morvan e  José Luis Muñuera lançaram uma nova aventura de Spirou e Fantásio, havendo um segundo episódio em 2006.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Gaston - Os Arquivos do Lagaffe


Gaston - Os Arquivos do Lagaffe
Autor(es): Franquin, Jidéhem e Delporte
Editora: Público/ASA
ISBN: 978-989-23-0864-7
Data: Julho de 2010
Páginas: 48



Gaston Lagaffe é uma personagem, sendo mesmo considerado o anti-herói da banda desenhada franco-belga. Esta personagem foi criada por André Franquin, desenhador e argumentista de nacionalidade belga, nascido em 1924 e falecido em 1997.
A 28 de Fevereiro de 1957, Gaston surge no n.º 985 do jornal de SPIROU que foi publicado a 28 de fevereiro de 1957, com a cumplicidade do argumentista Jidéhem. É um personagem que trabalha na redacção das edições do jornal Spirou. Gaston é uma das personagens mais atrapalhadas, preguiçosas e criativas da banda desenhada mundial que, mesmo quando não está a fazer nada, faz o suficiente para nos provocar boas gargalhadas.

Gaston Lagaffe e as suas maiores gaffes foram publicadas nesta colecção da Público/ASA, sendo este o número 1 dessa colecção.

domingo, 28 de junho de 2015

Lucky Luke - Rodeo


Lucky Luke - Rodeo
Autor(es): Morris
Editora: Edições ASA
ISBN: 972-41-4156-X
Data: Novembro de 2005
Páginas: 64


Lucky Luke é um cowboy solitário que viaja pelo Oeste selvagem ajudando aqueles que mais precisam sendo acompanhado e ajudado pelo seu fiel cavalo, Jolly Jumper.

Este álbum é composto por três histórias diferentes que nos transportam ao mundo do velho Oeste americano. Na primeira história, o nosso herói Lucky Luke e o seu cavalo Jolly Jumper têm de enfrentar o perigoso Cactus Kid para vencer um Rodeo. Na segunda história, Luky Luke ao chegar a Desperado City, vai ter muito trabalho para conseguir impor a lei e, na terceira e última história, assistimos em Buffalo Creek a uma verdadeira corrida ao ouro. Este é um dos primeiros álbuns da série, da autoria de Morris.  

Morris, pseudónimo de Maurice de Bévère tirou o curso de animação por correspondência e aos 20 anos começou a trabalhar como colorista no CBA, um estúdio belga de desenhos animados. Mais tarde colabora com Franquin, Will e Jigé.
Morris criou Lucky Luke em 1946 para a Revista Spirou.
A primeira aventura de Lucky Luke - Arizona 1880 - foi publicada no almanaque "Spirou 1947". As primeiras 31 aventuras foram publicadas pela editora Dupuis. No final dos anos 1960, Morris deixa a Dupuis e a revista Spirou e passou para a editora Dargaud e para a Revista Pilote.   

sábado, 27 de junho de 2015

Ric Hochet:- A Pista Vermelha

Os Piores Inimigos de Ric Hochet: Volume 4 - A Pista Vermelha
Autor(es): Tibet e André-Paul Duchateau
Editora: Público/ASA
ISBN: 978-989-23-3152-2
Data: Junho de 2015
Páginas: 48



Album pertencente à colecção Os Piores Inimigos de Ric Hochet, que a ASA e o jornal Público começaram a disponibilizar a partir do dia 3 de Junho de 2015.

Ric Hochet, o herói jornalista franco-belga que desvenda enigmas policiais, é o protagonista desta colecção.
Durante doze semanas serão distribuídos doze títulos, a € 5,40 cada, desta série criada por André-Paul Duchâteau e Tibet (Gilbert Gascard) em 1958, oito destes inéditos em Portugal onde se inclui R.I.P. Ric!, escrito por Zidrou e desenhado por Van Lient Simon, primeiro álbum da nova fase deste herói popularizado pela revista "Tintin", que será lançado em França no próximo dia 29-06-2015 pela editora Lombard e que abrirá esta colecção.

Ric Hochet está em Chamonix, onde, segundo um informador, um cirurgião plástico teria descoberto um meio de tornar os seus clientes irreconhecíveis, o que garantiria a imunidade a todos os grandes criminosos cadastrados. A descoberta de esqueletos nas neves do Monte Branco e a chegada clandestina de vários bandidos procurados confirmam estas suspeitas. Apesar de ter sido dado como desaparecido, apenas o infame Dr. Vogler, ex-médico nazi, poderia estar por trás de tais operações…
http://publico.pt/coleccoes/ric-hochet/index.HTML

Na mesma colecção:

Ric Hochet - O Triângulo Átila

Ric Hochet - Chegou a Tua Hora, Ric Hochet

Descansa Em Paz, Ric Hochet

Valérian - A Cidade das Águas Movediças


Valérian  agente espácio-temporal -  A Cidade das Águas Movediças
Autor(es): Jean-Claude Mézières (desenhos) e Pierre Christin (texto)
Editora: Meribérica/Liber Editores, LDA.
ISBN: 972-45-0166-3
Data: Fevereiro de 2001
Páginas: 48



Valérian, agente espácio-temporal, trata-se de uma série de banda desenhada do género ficção científica que foi criada por Pierre Christin, escritor, Jean-Claude Mézières, desenhador e Évelyne Tranlé, ilustrador. Surge pela primeira vez na edição nº 420 da revista Pilote a 9 de Novembro de 1967, tendo sido posteriormente publicada em álbum pela editora Dargaud a partir de 1970. Esta é uma das séries francesas mais antigas.
Em 2007, no 40º aniversário da criação da série, com o lançamento de L'Ordre des Pierres, muda de nome para Valérian et Laureline e a partir dessa data, as reimpressões dos álbuns, passam a ter esse título.

Em 1986, após um desas­tre nuclear, as calo­tes pola­res do hemis­fé­rio norte der­re­tem provocando inun­dações a toda a volta. Terra séc. XVIII, o mais ter­rí­vel dos pri­si­o­nei­ros, Xom­bul, evade-se e regressa a Nova Ior­que de 1986 atra­vés do espaço-tempo com a intenção de rou­bar os tesou­ros cien­tífi­cos da época que incluem os pla­nos de uma máquina espaço-temporal capaz de via­jar atra­vés dos tem­pos. O agente espaçio-temporal Valé­rian e a sua com­pa­nheira Lau­re­line regres­sam então ao pas­sado para sal­var o futuro!
Esta é em resumo a história do pri­meiro volume da série “Valé­rian Agente espaçio-temporal” escrita por Pierre Chris­tin e dese­nhada por Jean-Claude Mézi­e­res e edi­tado em 1970.

 

As Memórias de Matias - O Tambor Mágico


As Memórias de Matias - O Tambor Mágico
Autor(es): Marcel Uderzo (desenhos) e Moloch (texto)
Editora: Publicações Dom Quixote
ISBN: n.d.
Data: Novembro de 1982
Páginas: 48



Matias é, de certo modo, primo direito de Asterix: Marcel Uderzo, o desenhado que o criou é irmão de outro Uderzo, Albert o "pai" da mais famosa personagem da banda desenhada moderna.
Marcel, que aliás trabalhou durante muito tempo com o seu irmão, juntou-se em 1980 a Moloch (pseudónimo de Michel Glatigny), e dessa colaboração nasceram "As Aventuras de Matias".
Um Matias que não quer deixar os seus créditos por mãos alheias e muito menos ficar atrás do famoso primo...

Simon Du Fleuve - Os Escravos


Simon Du Fleuve - Os Escravos
Autor(es): Claude Auclair
Editora: Livraria Bertrand
ISBN: n.d.
Data: Junho de 1979
Páginas: 48



Depois de um conflito apocalíptico, os homens tornam a reagrupar-se em tribos e clãs. Simon de Fleuve é um viajante compulsivo que deambula num território bastante devastado na procura de uma vida tranquila. Aliando o tema da ecologia ao misticismo, "Simon de Fleuve" é uma série que nos leva a reflectir sobre o progresso, muitas vezes, incontrolável.

O primeiro álbum da série "Simon du Fleuve" foi editado em 1976 pela editora Dargaud.
Em Portugal a Livraria Bertrand editou os primeiros cinco álbuns da série (“O Clã dos Centauros”, “Os Escravos”, “Mailis”, “Os Peregrinos”, e “Cidade N W Nr 3”), estes são os álbuns em que Claude Auclair foi o autor tanto do argumento como do desenho. A partir do sexto álbum Claude Auclair cede o seu lugar de argumentista a Alain Riondet, ficando apenas encarregue do desenho. A série teve mais quatro álbuns (“L’Eveilleur”,  “Les Chemins de l’Ogam”, “Naugrage I”, e “Naufrage II”).
Existem ainda um número 0 da série, “La Ballade de Cheveu-Rouge” e também um álbum dedicado a uma das personagens da série, Jason Muller.
 

A Rapariga do Poço da Morte


A Rapariga do Poço da Morte
Uma Aventura de Pitanga, Barbeiiro a Domicílio.
Autor(es): Arlindo Fagundes
Editora: Editorial Caminho
ISBN: 972-21-1539-1
Data: 2003
Páginas: 53



Foi em 1985, no já mítico La Chavalita que a BD portuguesa viu nascer um novo herói de seu nome, Pitanga. Após uma ausência prolongada, Arlindo Fagundes (ceramista e ilustrador da colecção "Uma Aventura") apresenta-nos mais uma história do barbeiro a domicílio, desta vez ele enfrenta uma máfia dos transgénicos. Montado na sua moto, Pitanga volta com a mesma emoção e sentido de humor, para agrado dos apreciadores de banda desenhada.

O Encontro Em Sevenoaks


O Encontro Em Sevenoaks
Autor(es): Jean-Claude Floc'h (desenhos) e François Riviere (texto)
Editora: Meribérica/Liber Editores, LDA.
ISBN: n.d.
Data: 1983
Páginas: 48



O encontro em Sevenoaks cujo título na língua original é "Le rendez-vous de Sevenoaks" de 1977, editado em Portugal pela Meribérica/Liber em 1983 e no Jornal da BD  do nº49 ao 56.

Sir Francis Albany tem como profissão ser crítico no Daily Wire e a sua principal amiga Olivia Sturgess é uma romancista muito admirada nos meios literários de Londres. Entre dois cocktails mundanos, resolvem dedicar-se a resolver mistérios policiais.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Buddy Longway - O Alce

Buddy Longway - O Alce
Autor(es): Derib
Editora: Editorial Futura
ISBN: n.d.
Data: 1988
Páginas: 48



A série Buddy Longway, surge na Bélgica em Junho de 1972 no nº16 da Revista Tintim e apareceu pela primeira vez em Portugal a 17 de Abril de 1976, no nº48 do 8º ano da Revista Tintin.
Esta série apresenta-nos histórias sobre um caçador branco solitário do faroeste que casou com uma índia Chinook, e juntos têm dois filhos, Jérémie e Kathleen, enfrentando a natureza selvagem e encontrando vários personagens que vão incarnando defeitos e virtudes da humanidade.

Derib, de seu verdadeiro nome, Claude de Ribaupierre, suíço de nascimento, iniciou a sua carreira no semanla belga Spirou, onde teve como mestre Peyo, um dos pilares do jornal.

Philemon - O Náufrago do A


Philemon - O Náufrago do "A"
Autor(es): Fred
Editora: Meribérica/Liber Editores, LDA.
ISBN: 972-45-1346-7
Data: Outubro de 1998
Páginas: 56

"O Naufrágio de A" (primeiro álbum da série e o único até agora editado em Portugal pela Meribérica/Liber, de um conjunto de 15 surgidos na Dargaud).

Philemon é um dos mais amados aventureiros da Banda Desenhada da França!
Num dia comum na zona rural, Philemon cai num poço na exploração agrícola nas terras de seu pai ... no Oceano Atlântico?! Ele inicia uma viagem selvagem e lunática através de um mundo de fantasia tão original como o Mundo Maravilhoso de Alice, tão ricamente imaginado como Slumberland de Little Nemo, e tão emocionante para explorar como Oz.

FM Em Frequência Modulada

FM Em Frequência Modulada
Autor(es): Jorge Zentner e Ruben Pellejero
Editora: Meribérica/Liber Editores, LDA.
ISBN: n.d.
Data: 1990
Páginas: 64


Este foi o primeiro álbum da dupla Jorge Zentner e Ruben Pellejero a ser editado em Portugal.
A editora Meribérica/Liber foi também responsável pela edição de As Memórias de Monsieur Griffaton e outras histórias de Pellejero e Zentner - desta feita na revista Selecções BD, que foi publicada entre 1988 e 1991. Embora escassa, a bibliografia em português destes autores inclui ainda O Princípio... e o Fim (série Replay, Edições Asa, 2003), de David Sala e Zentner.



Gipsy - A Estrela do Cigano

Gipsy - A Estrela do Cigano
Autor(es): Thierry Smolderen e Enrico Marini
Editora: Meribérica/Liber Editores, LDA.
ISBN: 9724515486
Data: Janeiro de 2001
Páginas: 64

No início do século XXI, o Hemisfério Norte é devastado por um período glaciar. O buraco do ozono causa estragos e a situação política mundial torna-se caótica...Para salvar a atmosfera, reduziu-se o tráfego aéreo ao estritamente necessário. Em contrapartida os Estados constroem a maior estrada do mundo, a C3C, a auto-estrada circumpolar.

Tintim No País dos Sovietes


As Aventuras de Tintim Repórter do "Petit Vingtiéme" No País dos Sovietes.
Texto e Desenhos: Hergé

Editora: Difusão Verbo
ISBN: 9725532953
Data: Setembro de 1999
Páginas: 141



Tintim no País dos Sovietes (Tintin au pays des Soviets, no original em francês) é o primeiro álbum de banda desenhada da série As Aventuras de Tintim, produzida pelo belga Hergé.
Originalmente foi lançado nas páginas do suplemento juvenil, "Le Petit Vingtième", do jornal belga Século XX.
A ideia de criar um personagem que fosse repórter teve origem numa conversa de Hergé com o seu patrão, o abade Norbert Wallez, diretor do jornal católico Século XX (Vingtième Siècle). Este era contrário ao regime comunista, e incentivou Hergé a criar a história da viagem à Rússia, na qual os comunistas aparecem como bandidos. Depois da guerra, o abade foi preso pelos ingleses por vários anos, acusado de colaborar com o regime nazi.
No livro Le monde d'Hergé, o autor Benoît Peeters refere que Hergé usou, como pesquisa para esta história, o livro Moscou sans voiles, de Joseph Douillet, cônsul russo instalado na Bélgica.
A partir dos anos 30, a história foi retirada de circulação por Hergé, e só voltou a ser publicada em 1973, transformando-se de imediato num best-seller.